Hotel dog-friendly: conselhos para "dogvivência"

 conchita_melia

Grandes redes ou pequenos hotéis independentes, urbanos ou perdidos na natureza, os alojamentos cada vez recebem mais solicitações para reservas de pessoas que viajam com seu cão. 

De acordo com os últimos dados, cerca 22% dos hotéis admitem clientes com cão e a tendência é de crescimento. Ser dog-friendly está na moda, mas para que seja uma realidade e possas atender igualmente bem os clientes com cão e os clientes sem cão, recomendamos seguir uma série de conselhos básicos.


11 CONSELHOS DE CONVIVÊNCIA PARA HOTÉIS QUE DÃO AS BOAS-VINDAS A CLIENTES COM CÃO

1. DEFINA E COMPARTILHE AS "REGRAS" PARA CLIENTES COM CÃO EM TEU HOTEL. Um "aceito animais de companhia" já não é suficiente. Deverás definir claramente se há limite de tamanho ou número de cães admitido, se o cão pode ficar sozinho no quartoem quais áreas comuns podem aceder e em quais não... É essencial que estas regras sejam compartilhadas em teu site ou nas páginas nas quais teu hotel está visível, bem como relembrá-las no momento do check-in.

Podes criar uma documentação personalizada porém, enquanto isso, utilize este decálogo de convivência com algumas normas básicas:

Baixar código de convivência para  alojamentos turísticos dog-friendly

DECALOGO ALOJAMIENTOS

2. UMA DECISÃO DO TEU HOTEL OU DE TODA REDE? Se teu hotel pertenece a um grupo ou rede, deverias deixar claro se esta política afeta apenas teu hotel ou se trata de uma política "corporativa". Se a política é corporativa, aproveite! Ajude a criar uma marca dog-friendly e a conseguir mais clientes neste segmento para todos os hotéis do grupo. Se estão confortáveis em teu hotel, no seu próximo destino buscarão primero um estabelecimento de teu grupo. Um bom exemplo disto são as redes Casual Hoteles e Petit Palace.

3. COBRAR UM SUPLEMENTO POR CÃO E POR NOITE? No geral, os clientes com cão preferem alojamentos que não cobram este extra, mas a maioria aceita sem problemas caso lhes ofereçam algo "tangível" em troca: uma cama canina esperando no quarto, uns biscoitos, um bebedouro com água fresquinha...Com relação ao valor do suplemento, uns 10 ou 15% do preço da habitação é algo razoável.

4. POSSÍVEIS ESTRAGOS? Sempre podes solicitar antecipadamente um cartão de crédito e pedir que assinem um termo de responsabilidade no qual o hóspede assume que se há algum dano no quarto, o valor do concerto será cobrado no cartão. Os hóspedes educados e respeitosos, que sabem que podem viajar com seu cãozinho, não se importarão com essa precaução.

5. CADERNETA VETERINÁRIA. Quando viajamos com cão é obrigatório levar a caderneta veterinária (ou o passaporte) com as vacinas em dia, uma vez que qualquer representante da autoridade pode solicitá-la para identificar o cão e verificar se cumpre com as normas de vacinação e desparasitação. Também podes solicitá-la no momento de realizar o check-in no alojamento. Dessa forma, confirmarás que está tudo bem com o cãozinho. Importante! Avise ao confirmar a reserva de que é obrigatório apresentá-la, vai que algum distraído deixa em casa e acaba criando um momento de estresse. 

6. SEPARE QUARTOS ESPECÍFICOS PARA CLIENTES COM CÃO. Caso a distribuição e tamanho de teu alojamento permita, considere definir habitações aos clientes com cão (por andares, por exemplo) para poder oferecer aos hóspedes que não são muito "pet-friendly" um espaço no qual se sentirão cômodos. Outras ideias para levar-se em conta:

  • Ofereça a teus hóspedes com cão os quartos com saída para o jardim, se tiver.  Eles ficarão encantados!
  • Não é uma boa ideia colocar os clientes com cão em quartos próximos à áreas que passem muita gente, da recepção ou dos elevadores, uma vez que muitos cães latem ao ouvir passos. Procure as habitações mais tranquilas e tente que não coincidam dois cães em quartos vizinhos. 

7. DEIXÁ-LOS SOZINHOS NO QUARTO? Geralmente, mesmo que não seja uma regra, os cães não ficam tão tranquilos como gostaríamos fora de seu entorno habitual. Sendo assim, é possível que se acaba de chegar, esteja inquieto ou lata quando escute pessoas no corredor. Caso decida permitir que fiquem sós na habitação, que seja por pouco tempo ou que seu humano esteja no hotel ou nas cercanías, por exemplo, para desfrutar do pequeno almoço.  E que sempre esteja facilmente localizável por telefone e a uma curta distância caso tenha que voltar rápido ao hotel.   

8. PROTOCOLO DE LIMPEZA. Os cães podem soltar pelos durante sua estadia por isso, para evitar problemas com outros clientes alérgicos, é imprescindível seguir um exigente protocolo de limpeza após a saída desse cliente. Os desinfetantes para o chão, tecidos e tira pelos específicos para animais de estimação serão teus aliados. 

Outro ponto complicado é o serviço de limpeza durante a estância: se o cão está sozinho no quarto, não é recomendado que o pessoal de limpeza entre. Ele tenderá a "latir", se assustará e tentará proteger seu ambiente. Por tanto, é importante avisar que se o cão está dentro do quarto nos horários de limpeza, que o profissional não entrará. Podes indicá-lo com algum tipo de aviso parecido ao de "não perturbe" que avisa que há um cãozinho dentro. 

9. PEQUENO ALMOÇO COM CÃO. Os hóspedes com cão valorizam muito que possam desfrutar do serviço de pequeno almoço que o hotel oferece. Se não permites clientes com cão no comedor, podes buscar outras opções:

  • Defina outro espaço para eles: esplanada coberta, uma pequena sala... na qual possam realizar o pequeno almoço. Caso seja um serviço de buffet, tenha em consideração que se a pessoa está só com o cão, não poderá deslocar-se até o buffer e deixar o cão sozinho na mesa. Um garçom pode trazer-lhe um prato com o que deseje, por exemplo.    
  • Ofereça o serviço de pequeno almoço no quartodesayuno_con_perro_dogvivant. Os clientes estarão encantados de pode comer com seu peludo de pijamas e sem pressa!

Se não podes oferecer nenhuma dessas opções, recomendamos que permitas deixar o cão no quarto durante o tempo que seus "humanos" estiverem no pequeno almoço. Caso contrário, a experiência para os hóspedes poder ser até mesmo frustrante. 

10. SERVIÇO DE CRECHE. Uma boa ideia para aqueles hóspedes que precisam deixá-los sozinhos para fazer algum programa no qual no podem acompanhá-lo (😥😥😥) é realizar uma parceria com algum hotel/creche canino próximo de teu alojamento.

11. INFORMAÇÃO ESPECIALIZADA. Tenha preparada alguma informação turística especializada da zona com passeios, restaurantes, parques, museus, etc., que teus hóspedes possam ir acompanhados de seus cães. Bem como de serviços caninos na cercanía, especialmente um veterinário de urgência.


Com estes conselhos com certeza conseguirás oferecer uma experiência GUAU! para teus clientes caninos, criando um ambiente de dogvivência no qual os clientes com cão e os clientes sem cão dividem espaços sem problemas. 

E lembre-se: aceitar clientes com cão em teu hotel não significa ter que permitir qualquer comportamento, da mesma forma que não podemos admitir qualquer conduta entre os humanos. Tudo é uma questão de educação e senso comum. Contudo, estabelecer algumas regras básica auxilia a evitar conflitos


Foram-te úteis estes conselhos? Se a resposta for sim, faça o download aqui do decálogo de convivência para alojamentos turísticos. Ajudar-te-a estabelecer algumas normas de maneira amável. Podes também deixar uma cópia no quarto ou entregá-la no check-in.

Baixe teu decálogo


 

Informe "Hábitos de Turismo con Perro"

turismo_perro_dogvivant-50%

Prepárate para conseguir más y mejores clientes en tu negocio dog-friendly cuando reabras tus puertas, tras el Estado de Alarma. Consíguelo por sólo 45€+IVA hasta el 15 de junio. 

Comprar informe

¿Conoces los servicios de la certificación Dog Vivant?

Trabaja más y mejor con el segmento dog-friendly. >> Ver más

fases-serv-ESIVO

Iniciativa Solidaria “Euskadi Turismo”

Si eres una asociación protectora de Euskadi, consigue tu kit de Merchandising Solidario Doggy Etorri! Bienvenidogs! Euskadi Solidario